fbpx

blog

Geral

Vender online sem e-commerce, é possível?

15/09/2021

Com o isolamento social gerado pela pandemia da Covid-19, o mundo convocou que o mercado inovasse. Vender algo que era feito de maneira presencial entre empresa e cliente precisou virar a chave e avançar para o varejo digital, com lojas online.

Vale destacar que mesmo quando a pandemia tiver fim, usar o digital vai seguir sendo uma boa opção para aumentar as vendas

Para muitos foi fácil, mas para outros, principalmente empresas de pequeno e médio porte, foi um substancial desafio em meio a tantos outros. 

Além de dar de cara com uma crise sanitária, pequenos comerciantes precisaram enfrentar uma dura crise econômica e inovar.

E quando se fala em vendas, a primeira coisa que vem à nossa mente na hora de vender online é criar uma loja virtual. Essa parece a ideia mais óbvia, já que quando queremos vender algo no mundo material, o que fazemos é criar uma loja física, mas no meio digital as coisas são diferentes. 

O cenário das vendas do varejo no digital
Vender online tem custo?
E para meus clientes, existe alguma plataforma que facilite a compra?
Vender on-line demanda criatividade!
Fico distante do meu cliente nestas vendas digitais?

O cenário das vendas do varejo no digital

O cenário das vendas do varejo no digital

Você provavelmente está se perguntando se é possível vender na internet sem ter um e-commerce próprio. E a resposta é sim. Mas antes de dizer como, é preciso entender algumas coisas sobre este cenário. 

1) A venda virtual demanda de muito planejamento e organização, principalmente com a gestão do seu estoque, e pode ser feita através de marketplaces ou lojas online. 

2) O segundo passo é compreender que não é suficiente simplesmente cadastrar  suas mercadorias em marketplaces e plataformas de vendas (Mercado Livre, Amazon, entre outros).

É preciso garantir a qualidade dos registros fotográficos e descrições detalhadas de forma objetiva e clara, que faça o cliente sentir vontade de consumir seu produto.

3) O terceiro e último passo é entender que o funcionamento destas plataformas são amplas, ou seja, a lojinha da esquina está disputando o mesmo espaço que a loja do shopping central. 

Para aproveitar essa janela, a primeira preocupação deve ser o preço. No entanto, é insuficiente que seu preço seja o menor. É preciso fazer um balanço do custo do frete e o tempo de entrega.

Seguir perfis do mesmo ramo que você atua, pode ajudar a mapear seu nicho de mercado.

Vender online tem custo?

As plataformas de marketplace tem uma grande capacidade de agregar financeiramente, mas nem todas fazem isso gratuitamente. Em algumas redes sociais, como o Facebook e Instagram, esse valor inexiste, já o Mercado Livre, Amazon, Elo7 cobram uma porcentagem que varia de 10 a 15% em cima de cada mercadoria, depende do tipo do seu cadastro.

Mas de forma organizada você consegue, ainda assim, garantir o lucro de seu negócio.

Seguem algumas sugestões dos marketplaces mais utilizados:

1) Mercado Livre: para você ter uma ideia, a cada minuto, 9 vendas são feitas dentro deste marketplace, ou seja: em média, são feitas 12690 vendas por dia. 

Além de ter um amplo alcance, ele não determina um produto específico para a venda, você pode vender o que quiser. E melhor, a plataforma oferece várias ferramentas para otimizar o serviço do seu negócio, desde os meios de pagamento (Mercado Pago) até o envio dos pacotes (Mercadoenvios).

2) Magazine Luiza: poucos sabem, mas a Magazine Luiza tem um espaço dedicado a pequenos e médios empreendedores que querem anunciar seus produtos. 

De acordo com o próprio site oficial da empresa, o e-commerce deles é o mais premiado do país e está espalhado por mais de 900 lojas pelo Brasil. Sua principal vantagem é a proporção de visibilidade que ela oferece ao seu produto.

3) Amazon: eles possuem mais de vinte categorias e, caso você assine a mensalidade, mais benefícios são liberados para otimizar seu desenvolvimento nas vendas. Uma das vantagens, por exemplo, é vender seus produtos no Canadá, EUA, México ou nos três simultaneamente.

4) Elo7: é o marketplace perfeito se você vende artesanato. É como uma vitrine de produtos feitos a mão. Apesar de não ser tão conhecida quanto as anteriores, ela possui uma margem de 23 milhões de visitas por mês e atua em quase 4 mil cidades brasileiras. 

5) Shopee: o site se tornou extremamente utilizado e reúne todo o tipo de comércio, desde lojas até brechós com opções de dentro e fora do país. 

Saiba mais sobre ferramentas para varejo no post: 

E para meus clientes, existe alguma plataforma que facilite a compra?

E para meus clientes, existe alguma plataforma que facilite a compra?

Além de facilitar para os empreendedores, é necessário procurar mecanismos que aproximem também nosso cliente. Um caminho possível é o Instagram, de acordo com pesquisas, 80% das pessoas seguem pelo menos uma marca nesta rede social. 

Esse dado aponta para o potencial de vendas da rede social, então mesmo vendendo em marketplaces, ter um Instagram é essencial para propagandear sua empresa. Segue um passo a passo:

1) Faça download do aplicativo. Para isto será necessário um e-mail, caso você já tenha um Facebook é importante vinculá-los porque isso aumenta o alcance orgânico das suas postagens.

2) Troque seu perfil pessoal para um perfil comercial. Esta configuração te dá ferramentas para conseguir interagir melhor com clientes, além de expor as métricas de sua conta. 

Para fazer esta alteração, vá em configurações, escolha a opção “Alterar para o perfil comercial” e insira seus dados empresariais na opção “configurar seu perfil comercial”.

3) Depois disso, siga as contas do mesmo setor de trabalho que o seu para acompanhar o mercado e as tendências.

4) Agora é o momento de atrair seus clientes. Comece a fazer publicações que dialoguem com seu público alvo. Tire fotos e faça vídeos. Hoje, os vídeos que mais tem visualização são os Reels, que são vídeos curtos com mensagens objetivas e animadas. 

Além disso, procure colocar legendas curtas, com um título em destaque que atraia seu cliente.

5) Mantenha uma boa frequência de publicações. O Instagram é uma ferramenta extremamente dinâmica, com diversas publicações rolando soltas no feed dos usuários diariamente. 

Por isso, garantir presença é essencial para que os algoritmos não deixem de entregar seu produto, quanto mais visualizações você tiver, mais o algoritmo vai entender que precisa entregar aos usuários.

6) Mas tome cuidado com a quantidade exacerbada de publicações em um só dia, pois a entrega acaba sendo dividida entre todos os conteúdos postados. 

7) Nos cards, que são uma espécie de “fotos montadas”, busque não poluir a imagem. Coloque frases curtas e de impacto, que fará o cliente entrar na sua conta comercial.

Vale destacar que adotando um bom marketing e investindo em ferramentas para facilitar e melhorar a experiência do cliente você aumentará a taxa de fidelização

Vender on-line demanda criatividade!

Além dos marketplaces e redes sociais como Facebook e Instagram, há ainda outras formas criativas de garantir suas vendas engajadas.

1) Combo blog e produtos afiliados: se você gosta de escrever esta é uma ótima forma de mostrar o quanto seu produto é necessário. 

Você não precisa se preocupar com cadastro de produto, estrutura, meios de pagamento, entre outros, seu único trabalho é construir conteúdo de valor para atrair pessoas.

2) Canal do YouTube: o YouTube é um espaço onde você pode criar conteúdos de valor para construir uma audiência engajada. Com isso, consegue incentivar que essa audiência compre seus produtos direto na plataforma.

3) WhatsApp: é uma das formas mais fáceis para começar suas vendas. Porque pode divulgar seus produtos para a lista de contatos que já tem e aos poucos ir vendendo para essas pessoas.

Fico distante do meu cliente nestas vendas digitais?

Não! Inclusive esse deve ser um aspecto importante para ser organizado neste meio digital. Embora não exista contato direto de olho no olho com seu cliente, com estratégias e conteúdos relevantes você pode se aproximar muito mais do seu público. 

Para isso, é preciso monitorar e responder com agilidade todas as mensagens e comentários, tanto nos marketplaces, quanto nas redes sociais. Isso ajuda a criar uma imagem positiva para seus clientes e prospects. 

Algumas redes sociais, como o Facebook, fazem uma média e deixam no seu perfil a indicação de tempo de resposta do seu perfil. 

Conclusão

A tecnologia e as soluções digitais podem ajudar você a seguir vendendo, mantendo seu negócio ativo. Mas é importante lembrar que a atenção com o controle do seu estoque, o setor financeiro e outras questões, vão precisar de atenção redobrada na gestão. 

Uma boa maneira de lidar com este cenário é usando um sistema de gestão! Conheça as soluções da Limber para o setor de varejo e descubra como suas ferramentas podem ajudar seu negócio a ter melhores resultados!

Conteúdos relacionados

5 problemas que causam furos financeiros...

quero ler

Simplifique processos na sua empresa com...

quero ler

Demanda e estoque: por que elas...

quero ler

Formulário de newsletter